Milhares disseram NÃO ao suicídio

imperioO evento foi realizado em todo o país, no passado dia 17 de abril, com o intuito de alcançar aqueles que têm o suicídio como um pensamento constante, ou que já mataram os seus sonhos, os seus objetivos e perspetivas de vida.

A crise em Portugal e no mundo, levou a que muitas pessoas tirassem a sua própria vida, sendo que no nosso país o registo do número de suicídios não foi possível contabilizar de forma exata.

As razões são várias e até o número de suicídio nas forças armadas aumentou. Mas será que este é um ato de desistência ou de coragem?

Porquê desistir?

O suicídio é muitas vezes interpretado pelas pessoas como um ato de coragem, sendo que se questionam: “não sei como é que ele teve coragem”.

Coragem para tirar a própria vida, é a característica que não devemos atribuir ao ato de suicídio, pois é uma atitude que implica desistir de lutar pela própria vida, acreditando que a morte é a solução.

Para Deus o suicídio é uma declaração de condenação a si mesmo, pois aquele que tira a sua própria vida condena a sua alma eternamente.

No evento realizado em todos os Centros de Ajuda, as pessoas foram levadas a pensar, sobre as seguintes questões: “Porquê alimentar a morte, se posso ter a vida? Porquê alimentar a tristeza, se posso ter alegria?”

Deus quer dar a vida e a alegria àqueles que dizem não ao suicídio, que agarram a vida, que lutam pelos seus sonhos, pois Ele quer dirigir os seus passos.

A água da vida

Foi deixado claro no decorrer do evento, que a vida é um dom de Deus. A maioria das pessoas, muitas vezes vive de aparências, pois no seu íntimo existe a tristeza, a depressão, o desânimo, a dúvida, o medo, o nervosismo e outros fatores que testificam que não existe vida para os mesmos.

No entanto, aquele que não reconhece que precisa e permanece com a vida de aparência, não tem prazer, alegria, coragem e força; por sua vez, o que reconhece a sua necessidade, busca em Deus o dom que Ele mesmo concede, a vida.

“Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.”

(João 4.10)

Na ocasião, todos os presentes beberam um copo de água, representando a água viva, que Deus quer dar a cada um, para que tenham vida e nunca mais tenham sede.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *