Não seja mais um na multidão

IntelliMen-070816Aconteceu no passado domingo, dia 7 de agosto, pelas 18 horas, o encontro mensal do Projeto Intellimen, liderado pelo Bispo Carlos Rocha

O que é que Deus procura num homem para poder contar com ele? “Deus espera ver em nós o que viu nos homens do passado, que se destacaram dos demais”, foi desta forma que o orador deu início ao encontro.

“E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas.”

(Hebreus 11.32)

Estes homens eram todos de origem simples. Gideão veio da família mais pobre da tribo de Manassés; os pais de Sansão eram um casal comum; Jefté era filho de uma prostituta; Davi era o mais novo de sete irmãos e o pai não via nele qualquer capacidade, a não ser para cuidar das ovelhas.

“Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões.”

(Hb 11.33)

O que chamou a atenção de Deus nestes homens não foi o seu passado, a sua família, a sua capacidade ou a sua força, mas sim a Fé que demonstraram. Estes homens sabiam o que era certo e praticavam-no, chamando a atenção de Deus por causa da sua Fé e do sentido de justiça existente dentro deles. Por exemplo, Gideão, enquanto os outros estavam escondidos, mostrava-se indignado com a situação que estavam a viver, pois o sentido de justiça dentro dele falava mais alto do que o medo.

“Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.”

(Hb 37-38)

Intell-agosto16O mundo não era digno daqueles homens. “Por vezes, você faz um esforço enorme para que o mundo o aceite, mas o que você deve fazer é tornar-se num homem que o mundo não seja digno de si. E quando é que o mundo não é digno de nós? Quando somos diferentes, vivemos para Deus e para a Sua Justiça, separados do mundo”, esclareceu o orador.

“O mundo, a sociedade, o diabo não estão interessados em si, mas sim em tirar aquilo que você tem de bom, em impedir que você se torne naquilo que Deus quer. Pois, se você se torna num homem justo, de caráter, que vive para Deus, você vai fazer a diferença”, frisou o Bispo.

Auto-avalie-se

“Assim diz o SENHOR do Exércitos: Considerai os vossos caminhos.”

(Ageu 1.7)

Um dos grandes erros que o ser humano comete é comparar-se com os outros: com quem está pior do que ele porque conforta-o o pensamento de que está em melhor posição; com quem está igual a ele porque pensa que não está assim tão mal; com quem está melhor do que ele porque acha que só os outros têm sorte.

“Compararmo-nos com alguém só serve para ficarmos com a falsa ideia de que não conseguimos ou não precisamos mudar”, explicou o orador, continuando: “Ao auto-avaliar-se, você compara aquilo que tem sido com aquilo que já foi e com aquilo que pode vir a ser”.

Como é que funciona o processo de auto-avaliação? “Primeiro, você avalia o seu passado e o que tem sido; segundo, você considera o seu potencial e o que pode ser; terceiro, você decide o que vai fazer para alcançar o seu potencial e fá-lo”, enumerou o Bispo.

“O Intelliman não precisa comparar-se com outras pessoas, mas pode olhar para outros homens que admira e seguir o seu exemplo. A própria Palavra de Deus aconselha-nos a imitar os homens da Fé”, concluiu.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *