O dia em que as lágrimas tiveram um fim…

_MG_6182Manifestação de dor, de tristeza, de saudade, de angústia… mas também de alegria.

Domingo, todas as lágrimas negativas foram combatidas na sua origem: o interior humano, para que se viessem a transformar no seu oposto: em lágrimas de felicidade!

Não existe uma lágrima de dor que role pela face humana e que não tenha uma razão, uma origem… e foi, exatamente, este o motivo que levou o bispo Júlio Freitas a realizar o dia em que todas as lágrimas de desespero teriam um fim.

Seja uma doença, uma perda, um sonho por realizar… todos os que compareceram no encontro dominical, realizado às 9h30 na Sede Internacional do Centro de Ajuda, tinham lágrimas, não para limpar, mas para secar, desde a sua origem, o que passaria pela resolução dos seus problemas mais angustiantes.

“Lágrimas de vergonha, de miséria, de humilhação e insegurança… infelizmente, muitos têm vivido uma vida pautada pelo choro… mas hoje, todos têm a oportunidade de fazer a escolha mais acertada, cujo resultado é uma vida transformada!” – referiu o bispo Júlio, dirigindo-se à multidão que o escutava e que, naquela manhã especial comparecera na Sede do CdA.

Entre orações de libertação e de intercessão a Deus pela vida não só dos que se encontravam ali presentes como também pela dos seus familiares, ouve ainda espaço para a recolha de testemunhos daqueles cujas lágrimas de tristeza já se converteram em lágrimas de alegria, pois os seus problemas, finalmente, tiveram um fim.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *