O que pesa na balança de Deus?

bjf041015Serão os problemas? As ameaças? As nossas lágrimas?

Domingo, dia 4 de outubro, às 9h30, no Templo Maior, em Lisboa, o Bispo Júlio Freitas, responsável pelo Trabalho Evangelístico do Centro de Ajuda na Europa, realizou a reunião intitulada Domingo da Direção Certa.

Milhares de pessoas estiveram presentes, e, no decorrer do encontro, o Bispo Júlio Freitas ensinou a todos sobre a importância do dízimo que é fidelidade, felicidade. Dízimo não é lágrimas, tristeza.

“Lembra-te, SENHOR, peço-Te, de que andei diante de Ti com fidelidade, com inteireza de coração, e fiz o que era reto aos Teus Olhos; e chorou muitíssimo.

Antes que Isaías tivesse saído da parte central da cidade, veio a ele a Palavra do SENHOR, dizendo:

Volta e dize a Ezequias, príncipe do Meu povo: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que Eu te curarei; ao terceiro dia, subirás à Casa do SENHOR.

Acrescentarei aos teus dias quinze anos e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e defenderei esta cidade por amor de Mim e por amor de Davi, Meu servo” .

(2 Reis 20.3-6)

bjf041015_2“Ezequias não pediu para Deus se lembrar das suas lágrimas, nem que visse a sua aflição. Embora tivesse motivos para isso, já que, para além do problema com o rei da Assíria que ameaçava invadir Israel e destruí-lo com um exército quatro vezes maior que o exército de Israel, ele tinha uma doença mortal. Mas, quem é fiel a Deus não pede para Ele reparar os seus problemas, nem as suas lágrimas, ameaças, mas pede para Deus se lembrar da sua fidelidade. Quem é fiel a Deus tem a consciência que na balança de Deus é isso que pesa!”, exortou o Bispo Júlio.

Então, Deus ouviu a oração de Ezequias e viu as suas lágrimas. “Deus ouviu a oração de Ezequias, porque ele era fiel. Ser fiel a Deus não é para sofrer, para ser triste, é para você ser feliz, uma pessoa alegre.

Ezequias não pediu para Deus se lembrar do que ele estava a precisar, mas sim do que ele tinha feito para Ele. Existem pessoas que querem que Deus se lembre delas, quando elas não se lembram d’Ele. Querem que Deus se lembre delas nos momentos difíceis, de injustiça, de ameaças, de desafios, de problemas, mas elas não se lembram de Deus no momento de dizimar, de ofertar. Ou seja, no momento de ser fiel a Deus elas ignoram, mas, nos momentos difíceis, de lágrima, de dor, querem que Deus se lembre delas. Isso é uma injustiça! E Deus não é injusto, por isso é que Ele não livra o perverso, como está escrito, mas livra o justo, porque Deus é Justiça”, ensinou o orador.

Quando uma pessoa nos trai, dececiona, é infiel, ingrata, procuramos esquecer, evitar essa pessoa, mantemos até uma certa distância, não é verdade? E porquê? Porque nos traz recordações tristes, de dor, vergonha. Mas Deus, na Sua Infinita Misericórdia e Compaixão, dá a oportunidade ao infiel para se tornar fiel, porque quer lembrar-se da sua fidelidade, não apenas nos momentos bons, mas também nos momentos difíceis, ruins.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *