O seu coração é generoso?

enganoso-coracaoMuitas pessoas vivem preocupadas em acumular riquezas, mas descuram o mais importante: o destino final da sua alma

No passado domingo, dia 17 de julho, pelas 9h30, o Bispo Carlos Rocha falou sobre a importância de cada pessoa ter um coração generoso e de lutar pela salvação da sua alma.

“E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produzia com abundância. E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos? E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens”.

(Lucas 12.16-18)

Este homem viu o fruto do seu trabalho, mas cometeu dois erros gravíssimos: o primeiro foi o de não consultar a Deus e não Lhe agradecer a abundância recebida, falando apenas consigo mesmo; o segundo foi o de ficar preocupado apenas em acumular e na possibilidade de poder perder o que tinha conquistado, não se preocupando em compartilhar. “Este homem não tinha um coração generoso e não era fiel a Deus, excluindo-O da sua vida”, referiu o orador.

“Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te”.

(Lc 12.19)

“Este homem falou com o seu coração, com os seus sentimentos, dizendo que tinha tudo, mas faltava-lhe o mais importante”, explicou o Bispo.

“Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?”.

(Lc 12.20)

Deus chamou este homem de louco por ele estar agarrado aos bens materiais, por pensar somente no seu bem-estar físico. E muitas pessoas, hoje em dia, não pensam na sua alma, nem na morte, mas apenas na vida.

“Mas será que a sua alma vai ser levada ou pedida? Deus não pede a alma de quem crê Nele e O busca sempre, porque ela é Dele, por isso, Ele leva-a. Já uma pessoa que não entregou a sua vida a Deus e não viveu de acordo com a Sua Vontade, vê os demónios pedirem a sua alma a Deus. E Ele dá porque aquela alma não Lhe pertence, já que a pessoa não Lhe deu a sua alma”, sublinhou o orador.

“Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus”.

(Lc 12.21)

“Somos ricos para com Deus quando temos um coração generoso, quando não estamos preocupados em acumular para nós mesmos riquezas e estamos abertos a ser transformados por Deus e a fazer apenas a Sua Vontade. Somos ricos quando temos a Salvação da nossa alma e conquistamos a vida eterna”, concluiu o Bispo.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *