Solidão e depressão cresce em Portugal

DepressaoCrescePortugalNão é só entre os mais velhos que este cenário se faz sentir, pois existem cada vez mais jovens e crianças a serem afetados

No livro recentemente publicado e intitulado “Do Medo à Esperança”, a historiadora Raquel Varela e o psiquiatra António Coimbra de Matos revelam a triste realidade nacional: os portugueses estão cada vez mais solitários e deprimidos, especialmente devido a questões laborais.

“Os quadros mais notórios e frequentes são a depressão, a doença psicossomática e os conflitos laborais, com pesados custos para o indivíduo e para a sociedade. Nos dias de hoje, a morbilidade por exaustão no trabalho inunda as consultas médicas e psicológicas”, alerta o psiquiatra na obra referida.

“Nós constatamos que a sociedade portuguesa é uma sociedade com graves depressões individuais. O número de depressões está a aumentar e o estado de desmoralização nos locais de trabalho, profundamente competitivos e torturadores, está também a aumentar”, explicou a historiadora à agência Lusa.

“As pessoas estão sós e não é por estarem agarradas a uma máquina, a um computador ou a um telemóvel ou à televisão que deixam de estar sós. Por isso, não é nada estranho que as pessoas transfiram os afectos para animais ou colecções.

É um afecto reduzido porque o afecto da relação humana é o que nos pode tirar da depressão, ao tirar-nos da solidão”, esclareceu Raquel Varela à Rádio Renascença.

A Verdadeira Alegria

“O espírito firme sustém o homem na sua doença, mas o espírito abatido, quem o pode suportar?”

(Provérbios 18.14)

Quando uma pessoa sente o peso da solidão e vê a tristeza invadir o seu interior, como consegue ultrapassar tudo isso? Recorrendo ao Único que realmente pode curar o seu interior e encher a sua vida com uma Alegria sem limites!

“Senhor, meu Deus, clamei a Ti por socorro, e Tu me saraste”

(Salmos 30.2)

Foi isto que aconteceu na vida de inúmeras pessoas que sofriam de depressão e que em Deus descobriram uma nova vida. Venha conhecer a história de quem um dia estava no fundo do poço e no Centro de Ajuda encontrou a Luz

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *