Suicídios nas forças de segurança preocupam ministérios

morte_policiaPor detrás de uma farda que demonstra a autoridade, existe um ser humano capaz de sentir e de se tornar frágil. No ano de 2015, registaram-se 15 suicídios na PSP e na GNR, o que levou à tomada de devidas medidas.

São treinados para lidar com situações de conflito, mas nada leva a pensar, que estes virariam a arma que usam para defender, contra si mesmos.

Na maioria dos casos de suicídio nas forças de segurança, a arma de serviço que os acompanha, sensivelmente, 24 horas por dia, é o elemento usado para tomar uma decisão sem retorno.

Depois de um ano dramático, manchado de negro nas esquadras e quartéis onde autoridades puseram fim à própria vida, o Governo responde com ajustes no plano de prevenção.

Os principais motivos

“Praticamente a totalidade dos suicídios é cometida com a arma de serviço, colocando a questão sobre os procedimentos a adotar quanto à restrição do porte de arma perante vulnerabilidades psíquicas que possam indiciar elevado risco de suicídio. Mas esta matéria é complexa, já que a restrição pode ser interpretada como vexatória ou de desqualificação da função de polícia”, explica Carlos Braz Saraiva, psiquiatra que participou na elaboração do Plano Nacional de Prevenção do Suicídio, ao Expresso.

Os motivos para cometerem o suicídio podem ser vários, desde problemas económicos, afastamento de casa e, sobretudo, a desagregação familiar. Porém, a principal questão deve-se ao facto mencionado pelo psiquiatra, o porte de arma que alegadamente pode facilitar o acesso à morte.

suicidio_puliciaMedidas a tomar

Segundo o diretor nacional da PSP, em declarações ao Expresso, o falhanço da estratégia de prevenção e combate a esta situação, é reconhecido.

“Não obstante os meios e mecanismos existentes e acessíveis a todos os polícias e das 10.500 consultas de avaliação psicológica já realizadas, verifica-se que, infelizmente, continuam a ocorrer suicídios entre a família policial”, diz Luís Farinha.

As medidas por parte do ministério, já foram tomadas e, segundo a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, será realizado um estudo para avaliar, com maior rigor, as causas do suicídio e o reforço de psicólogos para a GNR e PSP.

Equilíbrio interior

O Espírito que existe no interior de cada ser humano é a sua força motora, o elemento que o impulsiona (ou não) para superar os obstáculos diários e a obtenção dos objetivos projetados pela mente. Para esse efeito, é imperativo aprender a desenvolver a sua vida espiritual, força interior, coragem e ânimo através da meditação.

Por isso, o Centro de Ajuda, convida-o a promover o seu equilíbrio interior através da reunião intitulada Noite da Salvação, que acontece todas as quartas-feiras, especialmente às 20h, em um Centro de Ajuda mais próximo de si.

Aproveite essa oportunidade, e participe com a sua família.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *