Uma palavra e uma mão amiga para os mais carecidos

Amadora2

Com a correria do seu quotidiano, ao entrar nos transportes públicos, ou até no meio do trânsito, já não tem tempo para prestar atenção a quem está do seu lado.

O principal foco passa a ser resolver o seu problema, a sua situação momentânea e, no fim do dia, poder chegar a casa e descansar.

Porém, nem todos têm conseguido um momento de descanso, ou os melhores resultados na sua vida, não por falta de esforço ou dedicação, mas principalmente porque não praticam a melhor dádiva descrita na Bíblia Sagrada, dar.

“Aquele que dá, recebe”, uma expressão comum de se ouvir, mas difícil de praticar.

O grupo Anjos da Noite, do Centro de Ajuda, é composto por pessoas comuns, com os seus problemas, as suas dificuldades diárias, que não ignoram aquele que está do seu lado, mas sim dedicam parte do seu tempo a este trabalho voluntário, de levar aos que mais precisam uma ajuda física e também espiritual.

 

Nas ruas de Lisboa

Amadora1Lisboa foi o local escolhido pelos voluntários do grupo para poder ajudar, através da doação de alimentos, roupas, uma palavra verdadeira e uma oportunidade de vida para cada uma das pessoas que se encontravam nas ruas, carentes de uma mão amiga.

Muitos não só procuram ajuda a nível físico, mas também emocional e espiritual, pois nem sempre têm com quem falar ou confiar as suas tristezas e dificuldades, que os leva a fugir de uma sociedade que consideram indiferentes às suas necessidades.

Os voluntários do grupo Anjos da Noite, provenientes dos Centros de Ajuda da Amadora, Benfica e Cruz de Pau, disponibilizaram o seu tempo previamente para preparar cada detalhe que suprisse as necessidades das pessoas que procuraram receber um alimento, como uma sopa e uma peça de fruta, e até roupas para que os mesmos estivessem confortáveis.

A palavra certa

Entre os voluntários, estão presentes pastores e obreiros, que dedicam a sua vida a dar de graça o que de graça receberam para obter a sua transformação de vida.

Benfica1Estes estiverem não só a distribuir os elementos físicos, como também disponibilizaram o seu tempo para ouvir aqueles que mais precisam e ajudá-los através de uma palavra certa, de acordo com as dificuldades de cada um.

Pessoas que provêm de várias partes da cidade, do país e do mundo, que perderam as suas vidas a partir de uma escolha errada e, por vezes, de um orgulho, que dificilmente pretendem quebrar para serem ajudados.

A palavra dada pelos voluntários serve para que estes tenham forças para superar não só as suas dificuldades físicas, mas sobretudo as suas maiores barreiras, as interiores que os impedem de evoluir.

Receberam com alegria e gratidão cada um dos elementos dados e foram desafiados a colocar a sua Fé em prática para uma transformação de vida.

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *