Notícia

Universal abre as suas portas na Ilha de Chipre

Internacional, Nacional |

Situado na parte nordeste do Mar Mediterrâneo e ao sul da Turquia (veja mapa ao lado), Chipre é a maior ilha do Mediterrâneo Oriental e o terceiro menor país da União Europeia, depois da Ilha de Malta e de Luxemburgo. Em 2015, a sua população era de pouco mais de 847 mil habitantes.

Desde a invasão turca, em 1974, Chipre foi dividido por uma ocupação militar que abrangeu aproximadamente um terço do norte da ilha. Em 1983, o território ocupado declarou-se como República Turca de Chipre do Norte, que só é reconhecida pela República da Turquia. O Governo da República de Chipre continua a ser o único governo internacionalmente reconhecido da ilha. A República de Chipre é um país plenamente desenvolvido e é membro da União Europeia desde 1º de maio de 2004.

Segundo leis internacionais, a Ilha de Chipre no seu todo é um país independente. Mas, apesar disso, encontra-se dividida entre um estado que ocupa os dois terços ao sul da ilha, o Chipre grego, e a República turca, que ocupa o terço norte da ilha e é reconhecida somente pela própria Turquia. Ambos os estados possuem a cidade de Nicósia como capital.

Universal ultrapassando barreiras

Há 4 décadas a Universal vem realizando, no Brasil e no mundo, um trabalho evangelístico especial em prol das pessoas que se encontram sofrendo e precisam da força da fé para mudar de vida. Desde o seu surgimento em 1977, a Igreja tem chegado a lugares aos quais jamais se poderia pensar que a Palavra de Deus iria chegar.

Índia, províncias da China, Japão, Venezuela, Colômbia, Angola, África do Sul, Portugal, Rússia estão entre os mais de 100 países em que o trabalho da Universal está presente e tem crescido, em razão da manifestação do Poder de Deus na vida das pessoas.

E na manhã do dia 28 de maio, foi justamente Chipre que ganhou mais um templo da Universal (fotos ao lado e logo abaixo), inaugurado em reunião ministrada pelo bispo Romualdo Panceiro, responsável pela Igreja na Europa. O local determinado foi a parte sul da ilha. Dezenas de pessoas compareceram à inauguração e ali receberam a Palavra de fé e vida que tanto buscavam.

Ao Portal Universal.org, o pastor James Luiz Alves (na foto mais abaixo, ao lado da esposa, Ana Beatriz), atual responsável pelo trabalho evangelístico no local, contou como foi a trajetória dele no país até a inauguração do primeiro templo na região. Acompanhe:

Portal: Há quanto tempo existe o trabalho da Universal no Chipre?

Pastor: Agora em maio completou 2 anos.

Como foi iniciar o trabalho evangelístico no país?

Foi uma experiência única que nós, minha esposa e eu, jamais iremos esquecer. Chegamos a um país que tem uma longa história de invasões da parte de vários impérios da Antiguidade, e também recente, como o ocorrido em 1974, quando a invasão da Turquia dividiu o país em dois. Quando ocorreu a divisão, o Exército turco obrigou todos os cipriotas gregos que viviam no norte do país a passarem para o sul, abandonando tudo, sob ameaça de morte, e muitos que até mesmo eram ricos passaram a ser pobres da noite para o dia. Além de tudo isso, nos últimos anos, Chipre atravessou momentos terríveis na sua economia, a ponto de as pessoas perderem grande parte de suas economias no banco, que foram confiscadas pelo Governo por conta de controles fiscais. Em meio a essa história recente de conflitos é que chegamos a Chipre, em 2015, e saímos às ruas para reconhecer a terra, contando com a direção que o Espírito Santo nos daria para dar início ao trabalho de evangelização no país. Começamos a fazer reuniões na casa de uma senhora que havia conhecido a Universal muitos anos atrás na Inglaterra, e se encontrava já havia muito tempo sem poder ir à igreja, por não estar presente no país até então. Dali, as reuniões passaram a ser realizadas em hotéis.

Como é a aceitação das pessoas com o Evangelho?

Essa pergunta é muito interessante, tratando-se de Chipre, pois os cipriotas, por conta da religião predominante no país e também por terem recebido na ilha ao longo de sua história personagens bíblicos como Paulo e Barnabé, pensam que sabem o que é o Evangelho. Mas, na verdade, o único que têm é uma crença religiosa, que não produz os resultados que o verdadeiro Evangelho produz na vida das pessoas. Sendo assim, há aceitação da parte das pessoas, mas é preciso mostrar a elas o poder do Evangelho na prática, para que entendam que não se trata de religião ou tradição, mas sim que é a atuação de Deus na vida delas por meio de cura, libertação, transformação, união familiar, prosperidade e, o mais importante, a Salvação da alma.

Quais as principais dificuldades enfrentadas?

A resistência por parte da religião predominante no país (ortodoxa), que está enraizada na cabeça das pessoas.

Como foi conseguir um local para abrir a igreja?

Foi um processo longo, que requereu muita paciência e perseverança ao mesmo tempo. A maior dificuldade não foi encontrar locais propícios para abrir a igreja. O maior obstáculo foi encontrar quem aceitasse alugar o imóvel para nós. A princípio estavam de acordo em alugar, mas, depois, ligavam dizendo que o local já não estava mais disponível. Assim aconteceu com pelo menos uns 10 locais, até que conseguimos o atual imóvel, e que, graças a Deus, é o melhor de todos os que encontramos. Eu acredito que Deus permitiu que não nos aceitassem nos outros lugares para que chegássemos até esse. As pessoas que estão conosco desde que iniciamos o trabalho aqui nem conseguiram conter as lágrimas quando entraram no local da igreja.

Há algum empecilho das autoridades?

Graças a Deus, não sofremos nenhuma resistência ao trabalho por parte das autoridades. Isso se deve também ao fato de que, como sempre, a Universal procura cumprir os requerimentos feitos pelo Governo do país em que atua, e em Chipre não é diferente.

Como foi o processo de construção/instalação para a inauguração da igreja?

O local inaugurado, antigamente, era um nightclub, e foi necessário ser completamente remodelado.

Como foi a sua trajetória até chegar a Chipre?

Comecei na Obra desde jovem, em 2000, seguindo os passos da fé e entrega dos meus pais. Mesmo tendo sido criado na Igreja desde meu nascimento — meus pais já faziam a Obra Deus no Altar e atualmente estão em Santa Catarina, no Brasil —, tive de aprender e reconhecer que precisava me arrepender e receber o perdão de Deus e definitivamente sepultar o meu eu, o qual todos temos, independentemente do passado ou de quem são os nossos pais.

Via sempre, como até hoje, em meus pais, verdadeiros exemplos de servos de Deus, e só conseguia pensar que eu queria ser daquele jeito, que os outros pudessem ver em mim Deus, como eu via Deus nos meus pais. Foi isso que me levou a entender que, embora tivesse o privilégio de não ter passado por tantos sofrimentos, como a maioria das pessoas que relatam os seus testemunhos, aprendi que o que faz uma pessoa precisar de libertação, conversão, Salvação, Novo Nascimento e o Espírito Santo não é o fato de ter tido problemas na vida, ou um passado de maldades e pecados, mas o fato de que todos no nosso eu, no mais profundo do nosso ser, somos maus. Essa natureza malvada tem de ser sacrificada, sepultada, abandonada definitivamente.

Aprendi isso em carne própria, porque, mesmo não tendo nenhum contato com aparentemente nada mundano, nas reuniões de libertação passava mal e tinha sensações realmente estranhas, que hoje eu sei que era o diabo. Continuando com as correntes de libertação, fiquei completamente livre, recebi o Espírito Santo e, desde cedo, sempre soube para que estou neste mundo, não precisou ninguém me dizer. O meu pai nunca precisou me dizer: “Você vai ser pastor, você vai ser um homem de Deus.” O exemplo sempre falou tão alto que era impossível não ouvir. Assim, eu sabia onde é o meu lugar, meu chamado para o Altar. Então, depois de servir a Deus como obreiro durante vários anos, fui levantado a auxiliar de pastor no Paraguai. Logo fui enviado aos Estados Unidos, depois à Espanha e a Portugal. Lá conheci a minha esposa, a Ana Beatriz, com uma trajetória semelhante à minha. Depois de 6 anos de casados, estando em Portugal, recebemos a missão de ir para a Grécia e, 2 anos depois, em 2015, foi-nos confiada a missão/desafio de iniciar o trabalho evangelístico da Universal em Chipre. Tem sido uma jornada de muitos sacrifícios, lutas e entregas, mas ao mesmo tempo gratificante por ver como vidas são transformadas, tornando-se em novas criaturas.

O mais novo templo da Universal em Chipre está localizado na 8 Stasinou Avenue, Ground Floor, Photos Photiades Business Center, Nicosia, 1.060, a apenas 1 minuto da estação de ônibus Plateia Solomou.

Compartilhe essa matéria e ajude a espalhar o Evangelho.

Fonte: Universal.org

 

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *