Universal em Portugal: uma missão que se cumpre há quase 28 anos

Templo Maior da Universal em Lisboa, capital de Portugal

Estrada da Luz, Lisboa. Foi ali que o bispo Paulo Roberto Guimarães conduziu, no dia 17 de dezembro de 1989, a primeira reunião da Universal em Portugal. Na época pastor, ele saiu do Brasil levando a esposa, Solange, e os dois filhos mais velhos – Tiago (hoje com 33 anos) e Carolina (atualmente com 30) –, que eram crianças ainda (todos na foto abaixo). A missão era instalar naquela pátria um núcleo da Universal, que começava a se expandir pelo mundo. Não havia planos definidos, mas o mover do Espírito da Fé, para cumprir a missão bíblica deixada pelo próprio Senhor Jesus: “Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura.” Marcos 16.15

“Tivemos que começar do zero”, lembrou o bispo Paulo Roberto em entrevista à Folha Universal em maio de 2015. “Cheguei a ouvir de uma pessoa de lá: ‘Aqui não é o Brasil. Se você pensa que a sua Igreja vai dar certo, está enganado, pois aqui nós adoramos Fátima (santa católica).’ Respondi que ele ainda iria ouvir falar muito da Universal.”

De fato, os primeiros meses foram difíceis para todos os envolvidos em levar a Palavra de Deus à população portuguesa, historicamente católica e muito apegada a dogmas e tradições. A primeira reunião no pequeno espaço da Estrada da Luz, por exemplo, contou com 12 pessoas. No segundo encontro, nenhuma pessoa apareceu. Era véspera de Natal naquele domingo, dia 24 de dezembro de 1989.

“No início foi difícil, muito difícil. Longe da nossa terra, dos nossos amigos, num lugar em que não conhecíamos nada nem ninguém, e ninguém nos conhecia. Só o Espírito Santo nos dava forças”, contou o bispo em outra entrevista, essa dada à Folha de Portugal. “Deus sempre falava no meu coração: ‘A luta é grande, mas a vitória é certa.’ Na segunda reunião não apareceu ninguém. Chorei, sim, pois esse foi o Natal mais triste e difícil da minha vida.”

Persistência e vitória

Contudo, o Natal mais triste da vida do bispo Paulo Roberto não o fez desistir de sua missão. Ao contrário, incentivado pelo bispo Edir Macedo e pela Palavra de Deus, o então pastor intensificou o seu trabalho, evangelizando pelas ruas de Lisboa.

“O primeiro ano foi difícil. Eu saía para evangelizar na rua, mas não aparecia ninguém na igreja. Eu ficava na porta convidando as pessoas, que olhavam com cara feia para dentro do templo, davam as costas e iam embora.”

Aos poucos, porém, a maneira racional de usar a fé foi conquistando os portugueses e enchendo as reuniões. Em 24 de julho de 1990, no número 28C da Estrada da Luz, foi inaugurado oficialmente o primeiro Centro de Ajuda (CdA) da Universal em Portugal.

Naquela época, além da evangelização nas ruas, muitos também eram apresentados à Universal pelos programas de rádio, que, aos poucos, passaram a ser transmitidos em todo o país, inclusive nas ilhas pertencentes à Portugal. A procura pela Universal foi tamanha que outros Centros de Ajuda foram abertos em pouco tempo, em locais cada vez maiores, levando o Evangelho para cada vez mais pessoas, que tinham as suas vidas transformadas após frequentarem as reuniões da Universal.

“Tinha uma aspiração muito grande no meu coração. Queria levar as pessoas ao conhecimento do Deus Vivo, do Jesus que cura, liberta, dá vida e é o Único Salvador. Estava determinado, muito determinado. Por isso nunca desanimei. No fundo do meu coração, sabia que essa era e ainda é a vontade de Deus”, afirma o bispo Paulo Roberto Guimarães, que hoje é responsável pelo trabalho da Universal no México.

Projetos sociais

Verdadeiramente, a vontade de Deus está sendo cumprida em Portugal. Ali, muitas pessoas já ouviram o Evangelho, foram libertas de problemas e conquistaram vidas abençoadas.

O trabalho, que começou sendo divulgado apenas com o “boca a boca”, hoje conta, além dos programas de rádio, com programação na tevê (iurdtv.eu) e um jornal semanal com tiragem de mais de 70 mil exemplares, a Folha de Portugal, que tem 14 anos de existência.

Mais do que reuniões, a Universal também realiza diversas ações sociais pelo país, por meio de grupos que atendem a públicos específicos, como Mães em Oração, Força Jovem Europa (na foto acima, jovem voluntária durante doação de sangue realizada pelo grupo no país), Projeto Raabe, Goodlywood, Grupo Calebe e Anjos da Noite.

Há também a Linha do Amigo, que atende 24 horas por dia, 7 dias por semana, pessoas que buscam um conselho em momentos de desespero.

Fé verdadeira

Hoje, a Universal em Portugal conta hoje com 130 templos, espalhados pelo país e pelas ilhas pertencentes a ele (na foto ao lado, o Templo Maior de Lisboa por dentro, durante reunião realizada pelo bispo Macedo). O trabalho está sob a liderança do bispo Romualdo Panceiro – que é o responsável pela Igreja em toda a Europa.

Na Universal desde 1982, o bispo já esteve à frente do trabalho de evangelização da Universal no México, Argentina e Estados Unidos, e consegue observar as principais dificuldades, ainda, para a pregação do Evangelho em Portugal: “São os obstáculos de motivação religiosa, uma vez que no país predomina e está bastante enraizada a religião tradicional romana.”

Mesmo assim, o trabalho da Igreja na região se fortalece cada vez mais. “Diariamente, de todo o país, temos recebido relatos de pessoas cujas vidas foram transformadas, por meio de cura, libertação de vícios, de espíritos malignos e de existências miseráveis. É gratificante vermos como as “escamas” da religião caem dos olhos do povo, os seus ouvidos passam a escutar e as suas cabeças se levantam. Atitudes que provêm da fé verdadeira que lhes ensinamos, passando esse mesmo povo a lutar pela vida nova que Deus lhes prometeu na Sua Palavra”, ressalta o bispo.

Que saber mais sobre a Universal no Brasil e no mundo? Clique aqui e acompanhe as 40 matérias especiais que estão sendo produzidas pelo Universal.org em homenagem aos 40 anos da Igreja, a serem completados em 9 de julho próximo. Não deixe de ler.

Fonte: Universal.org

 

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *