“Você tentou fechar as pernas?”

abusoMulher_RaabeComo se não bastasse a vergonha e o medo de denunciar um abusador, uma vítima de violência sexual foi duramente questionada por uma juíza em Vitória, no norte da Espanha, ao comparecer a uma audiência judicial para pedir a proibição de aproximação de seu agressor.

Em depoimento, a mulher – que não teve o nome revelado –, agora grávida de 5 meses, alegou que era abusada pelo seu parceiro tanto sexual quanto psicologicamente. No entanto, de acordo com o grupo feminista Associação Clara CampoAmor, a juíza Maria Del Carmen Molina pareceu não acreditar na declaração da vítima e questionou: “Você tentou fechar as pernas e toda a região dos órgãos femininos?”

Essa e outras perguntas foram criticadas por grupos de proteção à mulher e a história ganhou repercussão no país pelo constrangimento à vítima.

De acordo com o jornal inglês Mirror, a juíza “mostrou uma óbvia descrença questionando a vítima sem deixá-la responder, com questões ofensivas”, como disse Blanca Estrella, representante do grupo feminista, que pediu ao Conselho Geral do Poder Judiciário a suspensão ou afastamento do cargo da magistrada por sua “constante violação de direitos” de mulheres vítimas de violência.

De acordo com o tabloide britânico Daily Mail, a juíza já recebeu inúmeras reclamações por questionamentos ofensivos a vítimas de abuso sexual.

Rompendo o silêncio

Não é fácil romper o silêncio. Para a mulher abusada, a culpa, de alguma forma, tentará falar mais alto. No entanto, é preciso dar o primeiro passo para que a dor não se torne ainda mais insuportável.

Desde 2011, o projeto Raabe, idealizado pela escritora e apresentadora Cristiane Cardoso, já incentivou inúmeras mulheres a romper o silêncio causado por todo tipo de violência. Formado por um grupo de voluntárias – entre elas conselheiras espirituais, advogadas, psicólogas, assistentes sociais e até algumas sobreviventes de abusos –, o projeto visa ajudar mulheres que carregam traumas provocados por abuso emocional, sexual ou físico.

Recentemente, o grupo iniciou o curso da Cura interior, para mulheres que ainda carregam cicatrizes do passado – como dores da rejeição, do abandono e marcas de relacionamentos abusivos – e não conseguem seguir em frente. Em 2015, o curso ajudou milhares de mulheres em Portugal e em outros países da Europa a cicatrizar feridas e escrever uma nova história. Se você também está em busca dessa cura, ligue agora mesmo para o Amigo24h 21 836 80 08.

Cure o seu interior

Participe da próxima palestra do curso da Cura Interior, que será realizada na última terça-feira deste mês, no dia 29 de março, nas seguintes moradas e horários:

    • Lisboa 19h30

Alameda Afonso Henriques, nº 35 – 1000-123 Lisboa

    • Porto 19h30

Rua Egas Moniz, nº 485 – 4050-237 Porto

    • Faro 20h00

Largo S. Sebastião, nº 10 – 800-115 Faro

    • Coimbra 19h30

Rua da Sota, nº 20 – 3000-392 Coimbra

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *