Noticia

O ator Tom Cruise no papel de pai

paramont picture.690x460O ator Tom Cruise não quer ter contato com a própria filha. Ao menos é o que afirmam a revista National Enquirer, o site TMZ e outros veículos de comunicação especializados em famosos. De acordo com a Enquirer, o ator não vê Suri Cruise, fruto da relação dele com a também atriz Katie Holmes, há quase 27 meses.

O motivo dessa separação entre pai e filha seria a Cientologia, segundo a revista. Os líderes da religião de Cruise alertaram-no dos problemas que a menina, de 9 anos de idade, poderia acarretar ao ator, já que ela deixou de frequentar a igreja do pai.

Tom não deu declarações, mas, há alguns meses, afirmou que havia se distanciado da filha devido ao grande volume de trabalho. Nesses mais de 2 anos, o ator estrelou três filmes e trabalha em um quarto. Sabe-se que, há alguns dias, ele aproveitou uma de suas folgas para levar Connor (20 anos), filho adotivo dele e da atriz Nicole Kidman, a um torneio de basquete. De Suri, entretanto, ele não se reaproximou.

O impacto da ausência paterna

A ausência dos pais está ligada a diversos problemas na vida adulta de um ser humano. Um estudo realizado pela psicóloga Lidia Weber, que é pós-doutorada em Desenvolvimento Familiar pela Universidade de Brasília (UnB) e pela Universidade Federal do Paraná, revela que 15% dos pais brasileiros são omissos, ou seja, levam a nomenclatura “pai” apenas porque geraram a criança.

Independentemente de estarem dentro ou fora de casa, esses pais delegam a educação e a criação dos filhos a terceiros, como cônjuges, avós, babás e professores. Esse abandono gera na criança a carência de amor, o que acarreta baixa autoestima, ansiedade, depressão e alta probabilidade de comportamentos antissociais, como vício em álcool e outras drogas.

Foi o que aconteceu com Bruno Nascimento. Os problemas familiares em sua casa – que envolviam até mesmo drogas – o fizeram crescer afastado de seus pais, mesmo sob o mesmo teto.

“Tive uma infância muito conturbada, o meu lar era destruído, com muitas brigas entre meus familiares”, conta ele. “Aos 14 anos eu já sonhava em dominar as comunidades. Foi então que comecei a vender drogas. O dinheiro das vendas de drogas que eu fazia, a meu ver, era muito pouco e de demorado retorno, então, logo passei a praticar assaltos. Passei muito tempo no mundo do crime, mas vivia muito insatisfeito. Sempre desejava ter mais e mais dinheiro fácil.”

Bruno buscava preencher o vazio em si com o dinheiro e o poder que o crime supostamente trazia a ele. Como consequência, foi preso e humilhado. “Quando paguei por tudo o que devia, saí pelas ruas totalmente sem direção, e foi nesse momento que encontrei uma jovem voluntária do Centro de Ajuda que me entregou uma Folha Universal (jornal), com um convite para ir à Igreja.”

Nas reuniões do Centro de Ajuda, ele repensou a vida e modificou o seu comportamento. A fé preencheu o espaço deixado pela ausência dos pais.

11.690x460O papel de um pai

Para o palestrante Renato Cardoso, a função de um pai vai muito além de gerar o filho ou mesmo pagar as suas contas durante a infância. “Pai é quem lhe faz gente”, afirma ele.

Fazer gente significa ajudar na formação do caráter de um ser humano, exige muito mais do que morar sob o mesmo teto. Exige atenção, afeto, responsabilidade, críticas quando necessárias.

Renato coloca-se no lugar de filho e explica o que espera de um pai: “Nos dias de hoje, diria que o que mais precisamos é que seja um bom exemplo. Mostre-nos (não apenas fale) como vencer as lutas da vida. Não queremos perfeição (seremos os primeiros a apontar os seus erros), mas queremos caráter, ver que você não é como qualquer homem por aí. Queremos que a nossa esperança e crença no ser humano sejam renovadas toda vez que olharmos para o seu exemplo.”

Quer aperfeiçoar o seu relacionamento com os seus filhos – ou com os seus pais – dentro de casa? Participe da reunião em prol da UNIÃO FAMILIAR deste domingo , ministrada pelo Bispo Júlio Freitas.

Templo Maior
Rua Dr. José Espírito Santo 36
Marvila, Lisboa

E em todos os Centros de Ajuda do país

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *