Noticia

Prefeito Marcelo Crivella doa três primeiros ordenados para menina ganhar próteses

48ogb8d53je5zh2h9chqmlavl

Quando tinha 10 anos, Jéssica Oliveira de Lima teve que parar de frequentar as aulas de hip hop e de estudar sua matéria preferida na escola: Ciências. Após contrair meningite meningocócica, ela passou mais de um ano no hospital e perdeu os braços e as pernas.

Seus pais, Silvana Martins, de 30 anos, e Leandro Silva, 32, não se abalaram. Iniciaram a campanha ‘Um Futuro para Jéssica’ para angariar fundos para comprar próteses de qualidade para a menina e começaram uma corrente de solidariedade.

O caso acabou chegando até o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, que resolveu doar seus três primeiros salários, de R$ 18.983,96 cada, para Jéssica, como antecipou o ‘Informe do Dia’. Segundo Silvana, o preço dos membros protéticos chegou a R$ 165,6 mil. A única renda da família vem do emprego de porteiro do pai — a mãe parou de trabalhar para cuidar dela.

FAMÍLIA AGRADECE

“A Jéssica nunca deixou de viver, ela continuava fazendo as coisas de que ela gosta. Mas com as próteses facilita muito. Só de ela poder estar de pé é a maior felicidade para ela e para nós também”, agradece Silvana, satisfeita.

Jéssica conta que é apaixonada pelo cantor Luan Santana e também adora o estilo sertanejo. Nos vídeos da página do Facebook para pedir doações, ela dança, ri muito e até passa aspirador de pó na casa. Como ouve mal por causa da doença, descreve seu sentimento apenas como “muito feliz”. E garante: logo vai voltar às aulas de dança.

A luta da família de Jéssica não termina com a obtenção das próteses. Além de passar por treinamento para conseguir usar os braços protéticos, a menina vai ter que viajar mensalmente para São Paulo, para fazer a adaptação inicial. A manutenção anual deve ficar em R$ 24 mil.

Os pais continuam recebendo doações pelo Facebook. Assim como Jéssica, 112 pessoas contraíram meningite meningocócica desde 2015 no Rio. Os sintomas são febre, dor de cabeça e rigidez na nuca. A vacina está disponível para crianças de até 13 anos.

Fonte: Odia.ig.com.br

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *